[Opinião] Arrume a sua Casa, Arrume a sua vida - Marie Kondo





Título Original: Jinsei Ga Tokimeku
Tradução: Ana Lourenço
Editora: Pergaminho
Páginas: 157
Classificação: 3,5/5




Sinopse

“Cada coisa no seu sítio!”…quantas vezes não ouvimos as nossas mães ou avós a dizer isto?
A verdade é que, no tempo delas, era mais fácil fazê-lo; elas não viviam rodeadas dos gadgets e dos mil e um pequenos objectos que “atafulham” as nossas casas, nem tinham saldos várias vezes por anos para encher os armários de roupa que nunca se chega a vestir…
Temos de o admitir: hoje em dia, a maior parte de nós tem a casa cheia de “tralha”. E o problema é que essa tralha que nos rodeia tem uma influência muito subtil mas profundamente negativa na nossa qualidade de vida. Habitar um espaço desordenado faz-nos ser mais desorganizados na maneira de pensar e de nos comportarmos.
A fórmula é simples: espaços desarrumados e feios resultam de estados de espírito infelizes, e causam ainda mais infelicidade; espaços bonitos e arrumados resultam numa vida bonita e arrumada. Mas como o conseguir? Afinal, limpara a “tralha” das nossas vidas dá tanto trabalho que a maior parte de nós nem saberia por onde começar…
É aqui que entra o método mágico de Marie Kondo, a especialista japonesa em arrumação que está a fazer furor em todo o mundo. “Arrume a sua Casa, Arrume a sua Vida” é o best-seller internacional que está a transformar a vida de milhões de leitores em todo o mundo. Revela os segredos e ferramentas simples, práticos e profundamente sábios de Marie Kondo para deitar fora o que não interessa, cuidar do que interessa e transformar os espaços que habita em ambientes de tranquilidade e ordem.


Opinião
Se leram o post publicado a 5 de Novembro, já sabem que mudei de casa recentemente.
Sinceramente, não sou aquele tipo de pessoa que lê livros ou artigos sobre arrumações, decorações ou outros temas relacionados com casa. Gosto de me sentir confortável, sem olhar muito a modas ou estilos. Mas a minha mãe gosta de saber as novas tendências de casa, e comprou este livro para perceber de que forma é que poderia melhorar a arrumação e o conforto da casa.
Visto que eu ia mudar de casa, a minha mãe colocou-me este livro nas mãos com o seguinte recado "aproveita para te livrares daquilo que não precisas e arrumar as coisas nos devidos lugares".
Pois bem, antes de mudar de casa li este livro. Ajudou nalgumas coisas mas, sinceramente, houve muita coisa no livre que achei impraticável.
Um dos princípios da autora é termos em casa apenas aquilo que nos faz feliz - aquilo que gostamos e que nos traz boas recordações. E acrescenta que não vale a pena termos coisas que não usamos a ocupar espaço e a acumular más energias.
Percebo perfeitamente a postura da autora! Afinal, se estivermos rodeados por objectos que nos fazem felizes, vamos sentir-nos felizes, certo? Mas, na prática, isso não pode ser assim tão restrito....tenho imensos livros e partituras em casa que preciso para as aulas. Elas fazem-me todas feliz? Não, grande parte delas, não. Mas também não me posso desfazer delas porque, mesmo não estando a usá-las neste momento, posso precisar delas nos próximos anos. Outra coisa que também não é possível, é desfazermo-nos de tudo o que não precisamos neste momento. Ou seja, segundo a autora, o que não usamos e não temos planeado usar nos próximos tempos, é dispensável e está apenas a “atafulhar” a casa. Sendo assim, é preferível deitá-lo fora e, quando for necessário de novo, compra-se outro objecto equivalente. Na teoria é muito bonito, mas é prático? Com a crise que atormenta o nosso país, não é muito sensato deitar coisas fora e daqui a uns meses ter de comprá-las de novo. Acho que o melhor a fazer é guardá-las. Mas quando digo guardá-las é fazê-lo segundo as indicações da escritora - cada objecto tem um sítio específico. Se é um creme, vamos arranjar um espaço apenas reservado a cremes, se é um cabo electrónico vamos arranjar um local onde possa guardar todos os cabos e não guarde mais nada. Assim, mesmo que não me lembre que tenho determinado objecto, vou procura-lo no único sítio provável onde ele poderia estar. E isto é para todo o tipo de objectos: lapis, cadernos, lenços, colares, pratos, toalhas e acessórios de cozinha, etc... Assim temos todos nos nossos objectos organizados, sendo mais fácil controlar a quantidade que temos de cada item.

A autora é extremamente pormenorizada no tipo de arrumações, e até nos ajuda a arrumar a roupa de uma forma mais organizada nas gavetas e armários, ensinando a melhor forma de dobrar roupa. Este último item estava descrito de uma forma um pouco confusa, mas um rápida pesquisa pelo YouTube ajudou-me a perceber o que ela queria dizer. Ficam aqui dois vídeos da própria escritora a dobrar a roupa da forma que ela acha mais prática.

De qualquer forma, penso que se no livro estivessem algumas imagens descrevendo este método, facilitaria muito o leitor, não sendo necessário recorrer à internet.

Resumindo, o livro ajudou-me a organizar melhor os meus pertences e a distribuição dos objectos na casa. Houve coisas que para mim não funcionariam, mas temos de ter presente que a autora é japonesa e está inserida numa cultura e num país com condições socioeconómicas muito diferentes das nossas...mas posso dizer que me ajudou.

Como livro de auto-ajuda, está escrito de uma forma muito simples, acessível a qualquer pessoa, não utilizando vocabulário elaborado ou abordando questões complexas. Só tenho dois pontos negativos a apontar: a descrição da forma de dobrar roupa é um pouco confusa (talvez a presença de um desenho tirasse as dúvidas) e a repetição de ideias. Li várias vezes a escritora a dizer que quem usa a sua metodologia de arrumação vê a sua vida de outra forma, acabando por começar a fazer coisas que há muito queria ter experimentado, ou então, logo após a arrumação, terem acontecido acontecimentos fabulosos na sua vida. Em relação a estes comentários, estou um bocado cética...vamos ver se nas próximas semanas me acontece algo de fantástico! Mas é uma repetição excessiva. Não estou habituada a ler livros deste género literário e, por isso, não sei se isto é habitual...mas dispensava perfeitamente estas repetições.

Previous
Next Post »

4 comentários

Write comentários
Denise
AUTHOR
15 de novembro de 2015 às 23:44 delete

Olá Kel :)

Pessoalmente, tenho uma opinião sensível no que toca a este tipo de livros. Acredito que para sermos felizes o primeiro ponto essencial a atingir é descobrir a essência de cada um de nós e aí sim, a pessoa está pronta para lidar com as adversidades (de todo o tipo, ordem e feitio). Tudo isto para dizer que não há um padrão no que se refere a limpezas/organização de uma casa até porque, e tu referes muito bem, há fatores que diferem na vida de casa um.
É precisamente por esse dogma do absolutismo, do "aprenda a fazer e será tão feliz", que eu não atino com esses guias ou livros de auto-ajuda.
Apesar da minha opinião, sublinho que existem casos em que esses livros fazem a diferença, precisamente, por serem adaptados a quem deles se socorre.
Diria - e para não me alongar muito mais - que deve primar o bom senso quanto à crença que neles se deposita.

Beijinhos e toda a sorte do mundo nessa tua fase boa! :)

Reply
avatar
Kel
AUTHOR
16 de novembro de 2015 às 00:25 delete

Como sempre, gostei muito do teu comentário. Concordo plenamente contigo. No fundo, deste livro retirei apenas aquilo que me pode ser útil, sem ligar muito a alguns princípios da autora que considero impossíveis de realizar.
Na minha opinião não falei de uma coisa que tu abordaste no teu comentário e que também surgiu no livro - descobrir a essência de cada um de nós. A autora tenta mostrar às pessoas que para escolher os objectos que quer guardar ou para deitar fora, é necessário pensar na situação na qual adquiriu o objecto, ou na pessoa que o ofereceu. E se o objecto estiver associado a algum "assunto pendente", é necessário resolvermos esse assunto dentro da nossa mente antes de decidirmos o que fazer com o objecto. No fundo, está a querer dizer o que tu disseste - é necessário descobrir a nossa essência e lidar com os nossos próprios fantasmas.
Mas tal como disse na opinião, isto é teoria...na prática não sei se é o que acontece...
Mas apesar de tudo, valeu a pena pela experiência de ler um livro deste género. E pode-se dizer que também aprendi algumas coisinha :D
Beijinhos e obrigada!!! Para já, está tudo a correr bem!

Reply
avatar
23 de novembro de 2015 às 14:21 delete

Olá!
Gosto muito deste tipo de livros de não ficção, mais práticos.
Este não conhecia, mas fiquei muito curiosa. Não ando em mudanças, mas ando sempre a organizar e arrumar as coisas cá em casa. Acho que vai dar jeito.
Beijinhos e boas leituras

Reply
avatar
Kel
AUTHOR
25 de novembro de 2015 às 12:32 delete

Olá Isaura!
Se gostas de arrumar e organizar a tua casa, lê este livro. Ficas com uma ideia do que, segundo a autora, é importante ter em casa para que cada pessoa se sinta bem.
Beijinhos e boas leituras

Reply
avatar

Mensagens populares